O problema, que já é global, afeta a credibilidade de produtos e marcas e impõe para a indústria de embalagem um novo desafio…

Com o processo de globalização em plena expansão, cresce também a complexidade na cadeia de suprimentos. São cada vez mais produtos e mais fornecedores vindos de diferentes – e vários – países o que torna críticas as etapas de identificação, captura e compartilhamento de informações precisas sobre cada produto. O que, no final das contas, pode deixar o consumidor final inseguro sobre a integridade do produto, afetando, por tabela, sua confiança na marca.

A insegurança é agravada quando nos deparamos com pesquisas como a recém divulgada pela PMMI (Associação de Embalagem e Tecnologias de Processo), dos Estados Unidos, que indica que a violação de produtos deve crescer cerca de 3% ao ano, em todo o mundo, nos próximos anos. Este é, portanto, um desafio real e crescente. Este aumento certamente impulsionará o desenvolvimento de novas soluções anti violação a uma taxa anual estimada pelos especialista entre 13% e 16%.
“Este crescimento do mercado de soluções anti violação superará, de longe, o crescimento de indústrias mais tradicionais como alimentos, bebidas e produtos farmacêuticos em pelo menos duas a três vezes, nos próximos cinco anos”, avalia a pesquisa da PMMI.

Segundo Paula Feldman, diretora de Inteligência de Negócios da PMMI, “com o crescimento contínuo desta tendência, em nível global, é fundamental que setores correlatos, como embalagem e processo, mantenham esforços contínuos para desenvolver soluções que evitem a violação dos produtos e mantenham o controle de rastreamento dos mesmos, evitando recalls e, principalmente, a insatisfação do consumidor com um produto/marca”.

A América do Norte sozinha respondeu por 50% do crescimento global do mercado de soluções anti violação para embalagens de alimentos em 2014. “Mas é extremamente importante que a indústria de embalagem continue a tomar as ações necessárias para proteger as marcas ao redor do mundo”, recomenda Feldman.
Os resultados do estudo da PMMI se baseiam em entrevistas feitas com 75 brand owners, experts do setor e fornecedores de tecnologias que compartilharam suas experiências em atender às legislações relativas a rastreabilidade nas indústrias de alimentos, bebidas e produtos farmacêuticos.

Para mais informações visite www.pmmi.org.